Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

1483645341b9fa79b2bf069a790f94f6ac7a42fcc8
No comando: SHOW BANDAS

Das 07:00 as 10:00

VALCIR MARTINS
No comando: Jornal Comunitário

Das 07:15 as 08:00

jeferson-site
No comando: BOM DIA SOLIDÁRIA

Das 08:00 as 10:00

img_7890
No comando: MARCA NATIVA COM JULIA DE SÁ

Das 10:00 as 12:00

No comando: MISTURA TOTAL

Das 10:00 as 12:00

VALCIR MARTINS
No comando: Raízes do Pampa

Das 10:00 as 13:00

6989909_x720
No comando: HORÁRIO POLITICO

Das 12:00 as 12:25

whatsapp-image-2018-03-05-at-16-10-09
No comando: SHOW DE BANDAS

Das 13:00 as 15:00

img_8711
No comando: ARENA 105

Das 15:00 as 17:00

34417975_537236940006103_2871848879110750208_n
No comando: LAÇO DO PEÃO

Das 17:00 as 19:00

Jovem sobrevive após ficar 49 dias à deriva em uma cabana de pesca no Pacífico

Compartilhe:
download-3

Um jovem de 19 anos sobreviveu 49 dias à deriva no Oceano Pacífico em uma cabana de pesca, que funciona como uma armadilha flutuante de peixes. Aldi Novel Adilang foi resgatado no dia 31 de agosto por um navio que passou próxima a ele. Em meados de julho, ventos fortes romperam as amarras da cabana, que estava ancorada no leito marinho por uma longa corda e suspensa por boias.

Aldi afirmou que, em determinado momento, pensou que não conseguiria sobreviver. Ao portal de notícias “TribunManado”, o indonésio ressaltou ter se lembrado do conselho de seus pais para “orar em momentos de aflição”. Segundo o jovem, havia uma bíblia na cabana de pesca que ele usou para se manter firme até ser resgatado.

Funcionários do consulado da Indonésia em Osaka, no Japão, acompanharam Aldi à cidade de Manado, em seu país de origem, no último dia 8. Ele está em bom estado de saúde.

Quando estava à deriva, o pescador disse ter agitado um pano para chamar atenção dos navios que via passar ao longe, mas como isso não dava resultado, ele tentou enviar sinais de rádio de emergência.

Aldi contou ainda que seus suprimentos durariam apenas alguns dias e que ele sobreviveu pescando e queimando madeira de sua cabana para cozinhar seu alimento. Além disso, bebia água do mar através de suas roupas, tentando minimizar a ingestão de sal.

O jovem trabalhava como guardião de lâmpadas em uma armadilha flutuante de peixes, conhecida localmente como rompong, localizada a 125 quilômetros da costa. A cada semana, outro funcionário ia até ele para recolher os peixes e entregar-lhe novos suprimentos de comida, água e combustível.

 

Extra

Deixe seu comentário:

control

control

Nas redes sociais

net-tri-site

net-tri-site

Tempo