Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Alunos da UFRJ criam embalagem que muda de cor quando alimento está estragado - Rádio Solidária FM - 105,9 - Muito Mais Você

Fale conosco via Whatsapp: +55 49 991162328

No comando: Mandei Bem

Das 10:00 às 11:00

No comando: Encontro Serranos

Das 7:00 às 8:30

No comando: Top Fã

Das 8:30 às 10:00

No comando: Show Bandas

Das 07:00 às 10:00

No comando: BOM DIA SOLIDÁRIA

Das 08:00 às 10:00

No comando: Estação Solidária

Das 10:00 às 12:00

No comando: Mistura Total

Das 10:00 às 12:00

No comando: Raízes do Pampa

Das 10:00 às 13:00

No comando: Máquina do Tempo

Das 12:00 às 13:00

No comando: Domingaço

Das 13:00 às 15:00

No comando: SHOW DE BANDAS

Das 13:00 às 15:00

No comando: Show de Bandas

Das 13:00 às 15:00

No comando: TOP FÃ

Das 13:00 às 15|:00

No comando: Mandei Bem

Das 15:00 às 17:00

No comando: Antena Mix

Das 15:00 às 17:00

No comando: Arena 105

Das 15:00 às 17:00

No comando: ARENA 105

Das 15:00 às 17:00

No comando: LAÇO DO PEÃO

Das 17:00 às 19:00

No comando: Show Bandas

Das 17:00 às 20:00

No comando: Music Paradise

Das 19:00 às 20:00

No comando: Voz do Brasil

Das 19:00 às 20:00

No comando: Solidária Online

Das 20:00 às 07:00

Alunos da UFRJ criam embalagem que muda de cor quando alimento está estragado

Uma embalagem que muda de cor e indica se o alimento está próprio ou não para o consumo. Essa é a proposta do produto Plasticor, que é biodegradável e está sendo desenvolvido pela startup formada por seis alunos e ex-alunos de diferentes cursos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Através da coloração esverdeada ou rosada, a embalagem indica se a comida (perecível) está estragada.

O projeto foi desenvolvido e premiado durante o Hackathon, evento de empreendedorismo realizado por alunos da UFRJ e pelo Sebrae, no campus Xerém, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Há um ano, ele começou a ser desenvolvido.

— Fomos premiados como melhor projeto de sustentabilidade na área de alimentos e ganhamos a consultoria do Sebrae. A ideia é internacionalizar o projeto do bioplástico, que é biodegradável e inteligente — explica Lorena Ballerini, de 26 anos, aluna do último período do curso de Nanotecnologia.

O plástico fica verde ou rosa, dependendo do Ph do alimento estragado FOTO: DIVULGAÇÃO

Além dela, estão na startup três alunos da graduação de Nanotecnologia, Biofísica e Biotecnologia, um doutorando de Nanotecnologia, todos do campus Xerém, e um ex-aluno do curso de Design, do campus da Ilha do Fundão.

Os seis estudantes da UFRJ que estão desenvolvendo o produto Plasticor, embalagem biodegradável que indica, através da cor, se alimento está próprio para o consumo FOTO: DIVULGAÇÃO

Fonte: extra-globo

Deixe seu comentário:

Publicidades

Mais Novidades