Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Sobrevivente que perdeu 7 familiares no desastre na Serra do RJ relembra 10 anos da maior tragédia climática do Brasil - Rádio Solidária FM - 105,9 - Muito Mais Você

Fale conosco via Whatsapp: +55 49 991162328

No comando: Mandei Bem

Das 10:00 às 11:00

No comando: Encontro Serranos

Das 7:00 às 8:30

No comando: Top Fã

Das 8:30 às 10:00

No comando: Show Bandas

Das 07:00 às 10:00

No comando: BOM DIA SOLIDÁRIA

Das 08:00 às 10:00

No comando: Estação Solidária

Das 10:00 às 12:00

No comando: Mistura Total

Das 10:00 às 12:00

No comando: Raízes do Pampa

Das 10:00 às 13:00

No comando: Máquina do Tempo

Das 12:00 às 13:00

No comando: Domingaço

Das 13:00 às 15:00

No comando: SHOW DE BANDAS

Das 13:00 às 15:00

No comando: Show de Bandas

Das 13:00 às 15:00

No comando: TOP FÃ

Das 13:00 às 15|:00

No comando: Mandei Bem

Das 15:00 às 17:00

No comando: Antena Mix

Das 15:00 às 17:00

No comando: Arena 105

Das 15:00 às 17:00

No comando: ARENA 105

Das 15:00 às 17:00

No comando: LAÇO DO PEÃO

Das 17:00 às 19:00

No comando: Show Bandas

Das 17:00 às 20:00

No comando: Music Paradise

Das 19:00 às 20:00

No comando: Voz do Brasil

Das 19:00 às 20:00

No comando: Solidária Online

Das 20:00 às 07:00

Sobrevivente que perdeu 7 familiares no desastre na Serra do RJ relembra 10 anos da maior tragédia climática do Brasil

Ângela Lopes perdeu a irmã, cunhado e sobrinhos no bairro Campo Grande. A casa dela, no Caleme, em Teresópolis, foi uma das poucas que restaram de pé após enxurrada e deslizamentos em janeiro de 2011.

Carro ficou pendurado após deslizamento de terra em Nova Friburgo, em janeiro de 2011 — Foto: Marcos de Paula/Agência Estado

Uma década se passou desde que a maior tragédia climática do Brasil atingiu a Região Serrana do Rio entre a noite do dia 11 e a madrugada do dia 12 de janeiro de 2011. Foram 3 horas de chuva intensa, tempo suficiente para marcar para sempre as vidas das milhares de famílias que foram atingidas.

Sete cidades ficaram entre as mais afetadas pelo rastro de destruição deixado após uma enxurrada e diversos deslizamentos de terra. O volume de chuva durante as 3 horas foi maior do que o esperado para o mês inteiro.

De acordo com os dados oficiais do Governo do Estado, a tempestade matou 918 pessoas, deixou 30 mil desalojados e, de acordo com o Ministério Público Estadual, ao menos, 99 vítimas seguem desaparecidas até hoje.

Quatro destes desaparecidos são da família de Ângela Lopes, que perdeu sete familiares em Teresópolis. Entre as vítimas estão a irmã, o cunhado, sobrinhos e um sobrinho-neto. O rosto de cada um está estampado em uma camisa que ela guarda para relembrar os que se foram.

Deixe seu comentário:

Publicidades